Boneca Falante Virtual Store

0

SEIS SOLUÇÕES PARA AS UNHAS

Não é preciso ser vaidosa para fazer questão de manter as unhas sempre feitinhas e pintadas. Elas são nosso cartão de visitas em meio à correria do dia-a-dia, seja para aquela reunião importantíssima, para o aniversário da filha ou para complementar a produção da noite. Vermelhas ou discretas, curtas ou longas, redondas ou quadradas, com ou sem cutícula - as opções são inúmeras. Mas independentemente de seu estilo, uma coisa é certa: elas devem estar bem tratadas e saudáveis.

Unhas encravadas, manchadas, com micoses ou fracas são problemas freqüentes mas, escondidos sob o esmalte, acabam sendo adiados e se agravando. Portanto, sempre é hora de olhar as mãos com atenção e acabar de vez com estes inconvenientes. Alguns cuidados básicos podem garantir suas unhas bonitas e livres de complicações.

1 - Hidratação

Assim como nossa pele, as unhas também necessitam de hidratação. Para garantir que elas permaneçam saudáveis e fortes é preciso deixar a preguiça de lado e dedicar alguns minutos do dia para aplicar um hidratante. "Aproveite quando for hidratar as mãos e passe o produto também nas unhas. O único problema é o esmalte, que bloqueia a passagem dele", explica a dermatologista Ligia Kogos. Nesses casos, o ideal é esperar a noite anterior ao dia de fazer as unhas, retirar o esmalte e aplicar o creme. "Uma vez por semana já é suficiente", garante a médica.

“Toda vez em que for à manicure, peça um hidratante antes da base”

Para uma hidratação intensiva, é preciso deixar as unhas livres da pintura por pelo menos uma semana. "Por mais suave que seja o esmalte, ele sempre resseca as unhas. Portanto, toda vez em que for à manicure, peça para passarem um hidratante antes da base. Os melhores são os com efeito lubrificante, como os à base de lanolina, óleo de amêndoa, silicone, pantenol ou uréia", sugere a dermatologista.

2 - Livre-se das manchas

Manchinhas brancas, unhas amareladas. Probleminhas que cismam em aparecer, muitas vezes sem motivo aparente. E se a sua manicure vive dizendo que o problema são os esmaltes escuros que você anda escolhendo, saiba que as causas podem ser muitas. "No tempo em que as pinturas eram mais artesanais, isso era comum, um pigmento ou outro se depositava na unha. Mas os esmaltes foram aperfeiçoados e não costumam manchar", explica a dermatologista Ligia Kogos, lembrando que é fundamental usar um produto de qualidade.

Mesmo assim, para evitar possíveis marcas causadas pela coloração, a dermatologista Carla Góes Sallet recomenda alternar cores claras e escuras. "O uso muito contínuo de um mesmo esmalte pode fazer com que as unhas acabem se pigmentando, como acontece com os dentes em contato com café, chocolate ou refrigerantes", diz a Dra. Carla. Aliás, aquela história de que esmaltes escuros fortalecem a unha é pura lenda. "Não existe nada que comprove isso", acrescenta a médica.

Já as manchinhas brancas, que nossas mães diziam aparecer quando contávamos uma mentira, não têm culpa no cartório. "Geralmente são decorrência de pequenos traumatismos, como uma batida. O choque traumatiza a raiz e três meses depois aparece a mancha", explica Ligia Kogos. Quanto a isso, não há muito que fazer. Só ter paciência para esperar a unha crescer novamente.

3 - Micoses

"Qualquer pessoa pode ter micose. Como o tratamento é demorado, quanto antes se procurar um médico, melhor", avisa a dermatologista Carla Góes Sallet. Para ajudar a identificar rapidamente o problema, ela dá a dica. "Geralmente o canto da unha fica branco. Essa mancha então vai amarelando até ficar esverdeada", explica.

Apesar de mais freqüente nos pés, as micoses também podem atacar as mãos. "Os pés, por estarem mais expostos a traumatismos, como topadas, costumam ter mais micoses. Mas todas são causadas por fungos e, como eles estão em toda parte, ninguém está livre. O surgimento do problema é facilitado por baixas de resistência", explica Dra. Ligia Kogos.

De tratamento difícil - feito com medicação tópica e oral - e demorado, o melhor remédio continua sendo prevenir. "Evite condições que favoreçam o crescimento dos fungos, como ambientes úmidos. Quem mexe muito com água, lava muita louça, está mais suscetível. Quem não sofreu nenhuma espécie de traumatismo nas unhas, nem se expõe à água, precisa verificar a possibilidade de outras deficiências que causem baixa de imunidade", avisa Dra. Ligia.

4- Unhas fracas

Para dar uma força extra às unhas, todas as tentativas são válidas, mas em alguns casos não tem jeito. "Quem tem tendência a ter a unha fraca vai ser assim a vida inteira. Mas cuidados como fazê-las toda semana e lixar qualquer irregularidade, ajudam. Bases fortalecedoras que contenham formol também podem ser utilizadas, mas só na pontinha da unha", explica Dra Ligia Kogos, que em alguns casos indica o consumo de gomas de colágeno ou colágeno em pó para torná-las mais resistentes. Antes de tratar, porém, atenção aos sinais que o corpo dá. A dermatologista Carla Sallet adverte: "Unhas fracas: podem ser sintomas de várias doenças, portanto, toda mudança deve ser avaliada. É diferente de quem sempre teve o problema. Unhas que sofrem alterações, como estrias, devem ser observadas por médicos".

5- Encravou?

A manicure cortou demais, você foi dar uma cutucada e, pronto: encravou! O incômodo é grande e não tem mesmo muito jeito. Precisa esperar crescer. Para evitar que aconteça novamente, nunca deixe que cortem demais, principalmente nos cantos.

Pode parecer besteira, mas uma unha encravada é capaz de criar enormes complicações. A dermatologista Carla Góes Sallet relata: "Atendi uma menina de 12 anos que tinha cortado demais a unha do pé. Fechada no sapato, com o suor, infeccionou. Ela chegou aqui com o pé inchado e muito dolorido, e precisou tomar antibióticos por 10 dias".

Para quem tem uma unha que cisma em crescer para baixo, prendendo na pele, existe uma técnica para acabar com o problema. "É uma pequena cirurgia que modifica a direção do crescimento da unha. Realizada no consultório, com anestesia local, consta em colocar um suporte que levante a unha. À medida que ela vai crescendo, fazemos revisões, até que ela comece a seguir na direção desejada. Para quem vive com unhas encravadas e dor nos pés, é uma ótima opção", avalia Dra. Carla.

6- Higiene no salão

Afinal, por segurança, é preciso levar o próprio alicate para o salão? "Em um estabelecimento rigoroso, não há necessidade de se levar nada. Mas como nem todos os salões dispõem de kits descartáveis para as clientes, fique de olho", alerta a dermatologista Carla Góes Sallet. "Tanto lixas quanto palitos podem transmitir micoses, e os fungos se multiplicam muito rápido. Por isso, esse material deve ser descartável sempre e os alicates, esterilizados", acrescenta Dra. Carla, que, recentemente, realizou uma consultoria para as manicures da rede de cabeleireiro Studio W. "É complicado, pois as clientes fazem perguntas que elas não estão aptas a responder. As causas para os sintomas podem ser muitas, e devem ser sempre avaliadas por um dermatologista, nunca pela manicure", adverte a médica.
Fonte:BM

0 comentários:

Postar um comentário

Olá, deixe sua opinião sobre o assunto do post. Comentários com propagandas e divulgação de blogs será deletado. Obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout Desenvolvido por - Reneide Criações - Blog Chica Mimus