Boneca Falante Virtual Store

0

REPARAÇÃO DE DANOS NOS CABELOS


Gente, li esta matéria na Marie Claire e achei super útil e estou repassando para vocês. Espero que gostem. Bjkas

Dano & reparação: como é possível reparar os prejuízos dos danos do secador, da chapinha e tintura, química
Você sabe exatamente o que deve fazer para manter o cabelo saudável: usar o secador esporadicamente, maneirar na tintura, evitar lavar todos os dias... Mas o fato de conhecer de cor e salteado tudo o que prejudica o balanço e o brilho dos fios não significa que você vai trabalhar de cabelo molhado ou esperar a raiz crescer dois centímetros antes de retocá-la.
De acordo com pesquisa da L’Oréal Brasil feita com 1.039 mulheres, a brasileira adora mudar o cabelo. Nos últimos 12 meses, 56% delas mexeram na cor, 34% na forma e 87% na finalização. Outro dado que chama a atenção é a grande procura pela hidratação com máscara — o tratamento é o mais realizado nos salões e repetido, em média, três vezes por mês! Para continuar fazendo uma das coisas de que mais gosta — transformar os fios sem prejudicá-los tanto —, reunimos conselhos profissionais (e realistas!) para você começar a colocar em prática já.
Assuma seu cabelo
A teoria diz Ao transformar um crespo em liso ou vice-versa, sempre há perda de cutículas e queratina, por melhor que seja o tratamento, o profissional e o salão.
Na prática, você pode resgatar as instruções de uso de seu secador ou sua chapinha e seguir à risca as orientações do fabricante. Ficar atenta ao tempo máximo que a prancha deve ficar em contato com o cabelo, por exemplo, é essencial para reduzir os danos. Há anos o manual foi para o lixo? Tente fazer o download dele no site da empresa ou ligue para o atendimento ao cliente e solicite um novo. Prefira secadores ionizados, que eliminam a estática, deixando os fios mais lisos e sem frizz; e as chapinhas de cerâmica, que deslizam mais facilmente. Lembre-se também de manter tanto um quanto o outro em movimento. Nunca parado no mesmo lugar. Se você faz químicas, fique de olho nos produtos utilizados pelo cabeleireiro e no tempo de retoque. “O profissional precisa saber o que foi usado, por exemplo, no procedimento anterior, pois se as substâncias forem incompatíveis pode ocorrer sensibilidade, ressecamento excessivo e até queda”, diz o cabeleireiro Evandro Ângelo, do salão EV Beleza (SP). Ele aconselha também esticar ao máximo o tempo de retoque e limitá-lo à raiz.
Evite o secador
A teoria diz Deixe o cabelo secar naturalmente. “A dupla vento e calor do secador desidrata os fios, o que compromete a elasticidade e facilita a quebra”, diz o tricologista Ademir Júnior, presidente do Grupo de Assistência a Problemas Capilares (GAPCA).
Na prática, você pode minimizar a exposição ao calor. O segredo é retirar a maior quantidade de água que puder antes de pegar o secador e começar a escovação. Espere até que 2/3 do cabelo fiquem secos e posicione o bocal do aparelho a pelo menos um palmo de distância da cabeça, mantendo-o em movimento constante e na temperatura morna. “Sugiro às minhas clientes que adotem um secador com tecnologia de íons, para selar cutículas, e uma escova de cerâmica, que retém menos calor do que a de alumínio”, diz Evandro Ângelo. E não dispense os produtos termoativos, que protegem do calor e agilizam a secagem.
Não faça luzes
A teoria diz que elas deixam o cabelo desidratado e sem vida. “Remover os pigmentos naturais do cabelo com pó descolorante faz mais estrago do que inserir os da tintura”, diz Ademir Júnior.
Na prática, você pode fazer mechas fininhas apenas em alguns pontos estratégicos — leia-se: no topo e nas laterais da cabeça. “Dessa maneira, agride uma porção bem menor de fios, ilumina o semblante e fica liberada para retocar as luzes num intervalo de quatro meses”, diz Evandro Ângelo.

3 lavagens por semana
A teoria diz Banhos em excesso diminuem os óleos presentes no couro cabeludo, que são responsáveis por manter os fios brilhantes. Resultado: ele fica desidratado. A orientação de lavar dia sim, dia não, faria todo o sentido se você não tivesse cabelo fino e oleoso ou passasse um dia sem correr na esteira.
Na prática, você pode molhar muito bem o cabelo antes de espalhar o xampu. Quanto mais úmido estiver, menos produto será necessário. Na hora de massagear o couro cabeludo, procure se ater aos cinco centímetros próximos à raiz, que é onde o sebo fica concentrado, e nunca esfregue as pontas. Deixe apenas que a espuma escorra por elas. Enxague muito bem com a água mais fria possível, pois ela ajuda a selar a cutícula.

Não lave o cabelo à noite
A teoria diz “Se dormir com ele molhado, há o risco de ficar mofado ou perder o brilho por causa da falta de arejamento”, diz a dermatologista Denise Steiner (SP).
Na prática, você pode lavar a cabeça pela manhã ou, se não for possível, tirar o excesso de umidade com a toalha e passar rapidamente o secador com difusor, para dissipar o calor e o vento. “Para evitar que o cabelo amanheça armado, principalmente se ele for liso ou levemente ondulado, durma com um coque frouxo no topo da cabeça”, afirma Evandro Ângelo. Quanto aos cacheados, deixe-os soltos e, ao levantar, umedeça com água e passe um ativador de cachos no comprimento, amassando as pontas em direção à raiz.

Corte as pontinhas
A teoria diz que devemos passar no salão a cada quatro semanas. “Meio centímetro é suficiente para evitar que as pontas ressequem e partam ao meio”, afirma Evandro Ângelo.
Na prática, você pode fugir da tesoura por até três meses, no máximo. Nesse meio tempo, amenize os danos com hidratações profundas, feitas a cada 15 dias em casa ou no salão. Os nutrientes desse tipo de produto não são muito diferentes daqueles encontrados no seu condicionador comum. A diferença é a concentração, que é muito maior. Outra boa sugestão são os hidratantes noturnos, que agem enquanto você dorme para reparar os fios e deixá-los mais hidratados e brilhantes. Pode acreditar, funciona de verdade!
Deixe os fios soltos
A teoria diz “Elástico, presilha e companhia tracionam a fibra capilar que, se estiver fragilizada, pode quebrar. A situação piora se o penteado for feito com o cabelo úmido”, diz Ademir Júnior.
Na prática, você pode investir em finalizadores. Assim, dá para mudar o visual sem ter de fazer um rabo-de-cavalo ou uma trança. Para definir as ondas, vá de ativador de cachos; um liso perfeito pede creme antifrizz; as linhas do corte são valorizadas com pomada ou cera; e dá para domar o volume com mousse. Você não abre mão do cabelo preso? Opte por elástico encapado e procure não deixá-lo muito justo no cabelo. Antes de comprar tiaras novas, peça para experimentar e verifique se o acessório não puxa os fios.

0 comentários:

Postar um comentário

Olá, deixe sua opinião sobre o assunto do post. Comentários com propagandas e divulgação de blogs será deletado. Obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Layout Desenvolvido por - Reneide Criações - Blog Chica Mimus